Coringão Chopp

Corinthians, um campeão básico e justo

Corinthians ainda não tinha vencido de virada neste Brasileirão, ganhou justamente quando precisou. Vivia uma forte turbulência quando enfrentou o Palmeiras no Itaquerão no returno, venceu. Mesmo quando se atrapalhou no segundo turno, nenhum outro time teve a competência de se valer dos erros corintianos e ultrapassá-lo. Então, no feriado de 15 de Novembro, o Corinthians conseguiu sua primeira reversão de placar contra um Fluminense ainda em luta contra o rebaixamento, foi campeão com todos os méritos. Não joga feio, tampouco joga bonito. É básico. Não atravanca o time com volantes em demasia, os laterais são ótimos apoiadores e os tais volantes não são brucutus, sabem jogar.

No jogo do título, Fábio Carile mexeu com sucesso para transformar o 0x1 em 2×1. Tirou um volante que não precisava estar em campo, Camacho, fez entrar o meia Jadson e colocou seu time dentro do campo do Fluminense desde o apito inicial do segundo tempo. Virou em 3 minutos, chegou ao terceiro gol no fim e correu poucos riscos.
 

Para a Libertadores, o Corinthians precisará de mais qualidade entre os onze, não bastará ser organizado. Mas é para depois. Agora, vale comemorar o justíssimo título de campeão brasileiro. O sétimo.

 

facebook
twitter
Whatsapp



//Comentários